Zebras disparando na noite

Foto: Divulgação/Rodrigo Coca

Noite de quinta-feira zebrada, em preto e branco.

A começar pelo Corinthians… Mas, como? Então o Timão, tricampeão paulista, maior vencedor desse torneio na história, bicampeão do mundo com a segunda maior torcida do país, era zebra diante do recém-fundado RB Bragantino? Pois, era, se a coisa fosse levada nas margens da lógica do favoritismo, Afinal, o RB (prefiro, doravante, excluir o nome do Bragantino, já que não restou nenhum indício do time original na camisa, nem, nas cores, nem no escudo) cumpriu a melhor campanha no torneio, enquanto o Corinthians lutava para escapar à zona da  queda.

Bem, futebol é momento, como ensinava mestre Minelli. E o momento não era do Timão.

Sucede que o Corinthians é um caso especial. É uma combinação singular da retroalimentação entre a fé e a a realidade, a crença e o fato. Quanto mais mergulhado em crise, política ou técnica, ressurge de forma esplêndida, surpreendendo a todos. Sei lá, coisas de São Jorge, Pai Jaú, o grande zagueiro do passado que virou dono de loja de macumba?

Sou ateu, mas não sou besta. Algo especial acontece com esse time justamente nos seus piores momentos. Talvez, a leveza do time quando menos a Fiel dele espera, quem sabe?

O fato é que o Timão se classificou para as semifinais do Paulistinha batendo o favorito RB por 2 a 0. E, o mais, curioso, jogando bem, ao contrário de suas apresentações anteriores, sobretudo no segundo tempo. Nada excepcional, mas o suficiente para abrir a contagem logo aos 30 segundos de bola rolando, com disparo de Ederson de fora da área, engolido com manteiga por Júlio César.

E depois? Bem, depois, bola que vem, bola que vai, já no segundo tempo, corner da esquerda, e eis Jô, o filho pródigo, acertando cabeçada fatal: 2 a 0, fim de jogo.

Cabeçada fatal também foi aquela de Marinho que abriu o placar para o Peixe diante da Ponte, mais zebra impossível, pois, num passe de mágica, largara a lanterna acesa pra disputar o título nas quartas-de-final, mágicas dos esdrúxulos regulamentos de nossos cartolas sem cabeça.

Marinho, que, ao lado de Soteldo, representa quase todo o poder ofensivo do seu time, porém, foi expulso no final do primeiro tempo, e o Peixe, como já sucedeu antes, nas tantas expulsões sofridas, foi lá defender o barraco de sapê do pescador.

Resultado: a Macaca pulou de galho em galho e, com Bruno Rodrigues, Moisés e João Paulo atirou três cocos fatais na cabeça do Peixe, que, mais uma vez, morreu na praia.

E, assim, os inesperados Corinthians e Ponte seguem para as semifinais, com vistas a Mirassol e Palmeiras,

Será que a lógica vencerá? Num jogo só, decisivo, em plena pandemia? Quem é louco de adivinhar?

Foto: Divulgação/Ivan Storti

 

 

6 comentários

  1. Alberto Helena Jr.

    Os dois resultados foram ao meu ver, na minha humilde opinião, considerados normais dentro da torta lógica do futebol senão vejamos o curiquinha de itaquera naquele seu esquema retranqueiro e covarde de ser achou um gol a alguns segundos do inicio de jogo num peru histórico do ex gamba que estava na meta do Red Bull Bragantino e a pergunta que não quer calar é será um remake de Rui Rei de 1977 ou seja veremos o retorno do goleiro carequinha para o terrão de itaquera depois da mãozinha de hoje….que vergonha….e em se tratando da Vila Belmiro a Ponte Preta fez uma partida sólida e um futebol melhor jogado destas quartas de final surpreendendo o velho portuga que deve tomar o caminho das Ìndias quer dizer de Portugal já neste fim de semana. As semi finais prometem com a eliminação do curiquinha de itaquera pelo Mirassol que aplicará o veneno contra a própria cobnra em termos táticos retranca por uma bolinha e vencerá o curiquinha por um a zero mesmo placar da outra semifinal mas favorável ao Verdão que terá que suar sangue para passar pelo time de Campinas….rindo até 2026. Saudações palmeirenses.

  2. Jota senil Jr. reze para que sua pífia previsão se realize pois caso o Timão pegue vcs na final, já sabe né? Terá que se esconder embaixo da.cama novamente…hehehe….

    1. Alberto Helerna Jr.

      Queria cumprimentar meu amigo Tião Fiel e dizer a ele que as chances gambalinas de conquistar o título cresceram basrante graças a inépcia, incompetência e inexperiência de vários times que disputaram essas quartas de final do paulistão, vejam o Red Bull Bragantino por exemplo “tremeu” na frente dos gambas não jogou nem 50% do que costumava jogar, veja o Artur por exemplo, foi por isso que o Verdão vendeu fácil esse jogador que só joga na frente de times pequenos e além do que não é de confiança, ele pensa que a torcida esqueceu aquela fotinha de instagram com a camisa do Flamengo se enganou a torcida não esqueceu e inviabilizou a permanência dele no Verdão, esperto o jogador né, enfim cada um sabe o qua faz da carreira tentou uma jogada para ir para a gavea e acabou indo parar lá no time que gosta linguiça em Bragança Paujlista,,,,parabéns…..rindo até 2026. Saudações palmeirenses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *