Só o Verdão, na toada do 1 a 0

Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press

Só o Palmeiras venceu nesta rodada da Copa do Brasil. Na velha toada felipesca, o Verdão desarmou o Guerrero, aalgemou o resto do time do Inter e, numa cabeçada certeira de Zé Rafael, em cruzamento de Bruno Henrique, no primeiro ataque  verde, aos 20 minutos do primeiro tempo, definiu a questão.

Ao mesmo tempo, o professor lusitano Jorge Jesus estreava à frente do Flamengo na Baixada contra o Furacão, que não se perdeu pelo nome, pois passou todo o primeiro tempo acossando a área rubro-negra, ainda protegida por dois volantes, contrariando o que se prenunciava na véspera.

E, dessa forma, o Urubu tomou 1 a 0 logo aos 5 minutos do segundo tempo, numa cabeçada de Pereira.

Só lá pelos 19 minutos foi que Jesus exorcizou o velho fantasma e botou em campo Diego e Everton Ribeiro nos lugares de Vitinho e do volante Cuéllar.

Resultado: Gabigol fez um golaço – cavadinha por sobre o goleiro – e o Flamengo passou a criar chances sobre chances, embora o Furacão seguisse contragolpeando em alta velocidade, o que deu ao jogo uma dinâmica de tirar o fôlego, lá e cá.

Até que Bruno Henrique se machucasse e o volante Piris da Mota entrasse na sua vaga.

Foi o bastante para o Flamengo recuar e sofrer um assédio brutal dos paranaenses num jogo que teve dez minutos de acréscimo por conta de duas intervenções do VAR num gol e num pênalti a favor do CAP, este antecedido por falta em Rodrigo Caio.

Pouco antes, foi a vez de o Grêmio, em casa, empatar também por 1 a 1 com o Bahia, que está se transformando numa carne de pescoço nas mãos do Roger Machado. O domínio do Grêmio foi absoluto, sob o comando de Maicon com seus passes exatos e metronômicos. Mas, de pouca valia, pois lá na frente, só mesmo Cebolinha pra sofrer o pênalti que ele converteu no primeiro gol da partida.

Mas, o Bahia, que a todo instante replicava com velocidade, empatou no segundo tempo e leva toda a vantagem pra Salvador.

Enquanto Renato Gaúcho não resolver o problema da ausência de um centroavante mais efetivo e hábil do que André, o Tricolor vai sofrer, meu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *