Noite azul: 1 a 0

Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press

Nas arquibancadas, a festa de um azul vibrante. No campo, o gramado verdinho e a bola sem arestas à disposição de vinte e dois rapazes bem nutridos, treinados sob as mais modernas técnicas disponíveis nesta era de alta tecnologia. O juiz apita, a bola rola e o que se vê? Um pega-pega danado no meio de campo, uma sucessão de passes errados, faltinha pra cá, faltinha pra lá e tal e cousa e lousa e maripousa.

Que o Corinthians se plantaria lá atrás não surpreenderia ninguém. Mas, que diabo!, uma escapadinha ao ataque, pelo menos serviria para dar uma pitada de sal nesse insosso desempenho alvinegro. Mas, nem isso.

A bola foi entregue definitivamente aos pés azuis, que, com muita dificuldade, não conseguiam levá-la à meta adversária. Até que Tiago Neves acerta aquele tirombaço, defendido por Cássio. Mais adiante, novamente Tiago Neves pega, de direita, de fora da área, e, pimba!, bola no poste direito de Cássio.

Por fim, já nos descontos do primeiro tempo, Egídio dá uma banda no marcador e cruza para Tiago Neves, de cabeça, abrir o placar. Sempre ele.

Isso, depois de Cássio ter feito um pequeno milagre ao conjurar cabeceio de Henrique cara a cara.

No segundo tempo, bem que o Timão resolveu sair um pouco de sua defesa. Ou teria sido o Cruzeiro  que recuou a la Mano para garantir o 1 a 0 e, talvez, acertar um contragolpe fatal? Desconfio que um pouco de cada.

O fato é que o jogo ficou mais animado e o Cruzeiro teve duas chances gêmeas para ampliar, ambas em cabeceios que passaram rente ao poste de Cássio – uma de Barcos, outra de Dedé.

E só.

 

 

 

10 comentários

  1. Agora vamos e convenhamos, o futebol profissional se tornou uma prática esportiva disponível a qualquer tipo de “atleta” que saiba usar a força física ou a velocidade… Talento? Quase dispensável… Sinceramente, esse time do Corinthians acabou ganhando do “Cheirinho” jogando dessa mesma maneira covarde e sem competitividade e, sobretudo, agora, tentou aplicar (sem sucesso) a mesma tática contra o infinitamente MELHOR time do Cruzeiro…. Mas não obstante a isso, não é difícil compreender o porque do Cássio ser há tempos o melhor jogador desse arremedo de time e, sobretudo, se destacar em praticamente todas as partidas…. E me pergunto: Como um time pode ser campeão brasileiro jogando quase toda a competição por apenas uma bola e um excelente goleiro? E não podemos nos esquecer do time do professor Pardal Aguirre, que conseguiu ser campeão do primeiro turno com esse time enganador do tricolor… E o pior, é que de repente, um desses times podem sim ser campeões… É mole? kkkkkk Muito triste no que o futebol profissional (salvo rara exceções) se transformou e, sobretudo, acredito que infelizmente, a tendencia é só piorar…

      1. Meu time não “oga” ele joga…. E se você não sabe ler, aprenda, porque estou exatamente dizendo que também não está jogando nada… Que tal ao menos ler o texto completo ou ao menos tentar, antes de falar besteira hein menina? Ou gosta de passar vergonha? heheheheheheheh

  2. Gostaria de dizer que o pior é que nas partidas dos subs (15,17, 19,20, 23…) o futebol jogado é igual ao dos ditos profissionais por isso quando eles sobem para o profissional é a mesma mesmice não tomar gol fazer gol é um misero detalhe por isso nossa seleção nem mais chega a uma semifinal e os estádios só naõ ficam vazios pois o povo não tem outro lugar para ir extravasar sua revolta contra o estado de coisas que estão por aqui !

    1. O nosso futebol está tanto quanto os comentarista desse esporte…crítico….no sentido qualificativo e críticas só críticas…ninguém apresenta soluções…nem sugestões que melhorem a situação…e o Clubinho fechado dos que empunha microfone e nao permitem o aparecimento de alguém que pense o Futebol
      Essa gauchada…tecnicos inspirados no futebol praticado do outro lado da fronteira (uruguai)é preciso mudar…da nojo assistir futebol hoje

  3. Nobre, Helena Júnior, Não fosse Cássio, e o Cruzeiro já estaria comemorando o Título, que ainda poderemos conquistar, se, não tivermos que enfrentar, além da Raposa, a falta de visão do aspirante a treinador ( Jair AVentura ), principal responsável pela falta de futebol do Mosqueteiro. Só ele não viu que até os 35 do segundo tempo, jogamos com 10 ( Jadson, lento ao extremo, não acertava um passe ). para colocar Pedrinho e Araus, deveria ter sacado Jadson e Gabriel, e não Clayson e Matheus. Alguém da diretoria deve dirigir o Time na próxima quarta feira, escalando o que temos de melhor, e mostrando aos jogadores, que a sorte está do nosso lado, pois mesmo fazendo as duas piores apresentações, da História do Alvinegro, contra Flamengo no Maracanã e agora contra o Cruzeiro, não fomos goleados. Quem for dirigir a Equipe, deve alertar os jogadores, para quando chegarem próximo a grande área adversária, evite alçar bolas, pelo simples fato de nossos jogadores, baterem na cintura, dos grandalhões cruzeirenses. Tem que penetrar por baixo, por baixo ! Tenho um pressentimento, que seremos campeões, e torço muito para isso, porque nós corintianos, merecemos. E Ele, meu amigo, o Senhor Augusto Oliva, que estará completando 94 anos, dia 17 de outubro de 2018 ( o dia da decisão ), merece muito mais ! Seu Gusto, como respeitosamente o chamamos, nunca deixou de acompanhar o Campeão dos Campeões, fosse ao vivo, pelo rádio ou teve, lembrasse da escalação das grandes equipes que tivemos, lembrasse das defesas de Gilmar, dos gols de Luizinho, de Baltazar, enfim respira, vive e é Corinthians a quase um Século ! Que dia 17, o ” Destino “, lhe presenteie com mais um Título, e uma atuação digna de nossas tradições e glórias.

  4. Triste é não ver o esquema tático retraído.
    Triste mesmo é ver jogadores medíocres em campo representando o corínthians ,um time de tradições e de grandes jogadores. que por ali passaram..
    Se tivesse grandes jogadores ninguém estaria falando de esquema de jogo, de time retraído, de falta de objetividade e muito menos de falta de chutes a gol.

  5. Alberto Helena Jr.

    Escapou o pangaré itaquerense de um sonoro 3 x 0 e que seria merecido pois só teve um time em campo e foi o mineiro, tivesse o Cruzeiro caprichado um pouco mais nas finalizações e seria já o campeão da Copa do Brasil, a raposa vai ter que fazer a festa lá no impressorão da Odebrecht na longíngua Zona Lost, Saudações palmeirenses.

  6. Prezado Alberto.
    Apesar dos pesares deste pobre futebol, o corinthians ainda têm “estrela” e, de certa forma, conseguiu perder por um placar mínimo, renovando suas forças junto com sua torcida para a partida final.
    Infelizmente o futebol do corinthians realmente é de dar nos nervos, mas, diante de tantas dificuldades que o clube vem passando, até que está bom demais para ser verdade, convenhamos.
    Vamos ver o que vai dar no próximo jogo.
    Grande abraço e saudações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *