A Ferrari contra todos em Montreal

(Foto: Yann Coatsaliou/AFP)

Depois das três conquistas consecutivas de Michael Schumacher entre 2002 e 2004, a Ferrari nunca mais venceu no GP do Canadá. A Mercedes conquistou as três últimas corridas com Lewis Hamilton que, este ano, poderá alcançar a marca de sete vitórias no circuito canadense, igualando a marca de Schumacher. Só por aí a corrida já promete bons atrativos. A prova, no domingo, começa às 15h10 (hora de Brasília) e, no sábado, o treino de classificação será às 15h. Para a Ferrari, quebrar o tabu em Montreal é ponto de honra.

Hipermacios, ultramacios e supermacios foram os compostos escolhidos pela Pirelli para o asfalto do parque da Ilha de Notre Dama, em Montreal. Como se sabe, a pista é lisa, quase nada abrasiva, e permite que os pneus mais macios – que permitem mais aderência mas se gastam com mais rapidez – possam ser utilizados pelas equipes. A Mercedes optou por escolher um número menor de jogos dos hipermacios, levando em conta o fraco resultado dos carros de Lewis Hamilton e Valtteri Bottas, com este composto, na corrida de Mônaco. A estratégia de uma única parada não está descartada, principalmente para a Mercedes.

Com a classificação do Mundial de Pilotos mais equilibrada depois do GP de Mônaco, nenhuma equipe sofre forte pressão no momento. A Ferrari, entretanto, tem essa dívida com seus milhares de torcedores canadenses que gostariam de ver Sebastian Vettel no alto pódio. Pressão mesmo – até certo ponto exagerada – apenas sobre o holandês Max Verstappen. Alguns críticos gostariam que Max continuasse com seu estilo agressivo mas sem cometer falhas ou acidentes. Não é fácil domá-lo. Embora acabe sempre se desculpando, Verstappen parece convencido de que o caminho da cautela não é o seu. A Red Bull e a F1 terão que se acostumar com isso.

É difícil prever um favoritismo em Montreal. Em tese, as três escuderias tem boas chances. Hamilton pilota muito bem nessa pista, a Red Bull venceu em 2013 e 2014, a primeira com Vettel e a segunda com Ricciardo, e, portanto, tem boas informações da pista. A questão dos pneus, talvez, possa jogar a vantagem para um lado ou para o outro. No caso de nova vitória, Daniel Ricciardo entrará de vez na disputa do título de 2018, embaralhando o jogo entre Mercedes e Ferrari.

Vale a pena lembrar que esta pode ser a chance de quebrar mais um recorde. A melhor volta em Montreal pertence a Rubinho Barrichello, com Ferrari, estabelecida em 2004 com 1min13s622. A McLaren é a equipe que mais venceu no Canadá – 13 vezes. Isso poderá dar algum alento a Fernando Alonso quando alinhar no grid.

O 47º Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 acontece nos dias 9, 10 e11 de novembro no autódromo de Interlagos, em São Paulo. Os ingressos para a corrida, informações e imagens em 360 graus dos setores estão disponíveis no único site oficial do evento: www.gpbrasil.com.br. O GP Brasil também está no Instagram e Facebook: gpbrasilf1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *