Neymar é isso, Neymar é aquilo… Gol de Neymar!

Foto: Divulgação/Lucas Figueiredo

Neymar é isso, Neymar é aquilo… Gol de Neymar! Um, dois, três, só nesta noite de terça na goleada por 4 a 2 sobre o Peru, em Lima, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo. Dois de pênaltis, que ele mesmo sofreu, e um de rebote no poste em conclusão de Everton Ribeiro.

E assim, creia!, Neymar passou por Ronaldo Fenômeno e segue solitário em direção à marca de ninguém menos do que Pelé, o Rei, o maior jogador de futebol de todos os tempos, o artilheiro de mais de mil gols. Com chances, diga-se, de alcançá-la pelos anos que ainda tem pela frente. A marca de maior artilheiro da história da Seleção Brasileira em jogos oficiais.

Mas, Neymar não é só isso, não (só?). Desde que passou a atuar mais centralizado, como disse o próprio técnico Tite, Neymar incorporou o arco e a flecha ao mesmo tempo: arma as jogadas de ataque com passes exatos e surpreendentes, dá assistência e vai lá na área conferir.

Ah, sim, e ainda nos brinda com dribles estonteantes, jogadas mágicas, todo aquele repertório que reveste a eficiência de beleza plástica, deslumbrando o espectador mais renitente.

E olhe que, nesta terça, Neymar foi mais discreto do que o habitual, embora de eficácia decisiva.

Assim como de resto nosso time, que dominou a partida, teve estofo pra reagir ao placar adverso por duas vezes mas não cintilou, entre outras coisas porque Coutinho não reproduziu o excelente futebol da partida contra a Bolívia, enquanto Richarlison e Firmino, ainda que envolvidos diretamente num dos gols, ficassem devendo um jogo mais corporativo e atuante,

De qualquer formas, foi uma vitória difícil e importante, que injeta confiança nos jogadores e na torcida, espero.

MANCINI, UMA BOA?

Sem dúvida. Mancini é um treinador experiente, que teve altos e baixos em sua carreira como todos os outros, com a vantagem de ser um tipo equilibrado, capaz de conferir ao elenco corintiano uma boa dose de autoconfiança, elemento indispensável para o time sair do sufoco em que se encontra,

O time não é uma tragédia técnica, sem ser acima da média, claro. Tem bons jogadores e pode perfeitamente de, bem organizado taticamente, alcançar patamares aceitáveis daqui pra frente. É de se ver.

FLA, NO SUFOCO

Foi no sufoco, com gol de Pedro no último segundo contra o Goiás, mas foi Flamengo. Dsta vez, mais raça do que técnica, embora o Mengão tenha demonsytrado em alguns instantes a gama de jogadas que lhe deram privilégio na temporada passada. Desfalcado de vários titulares, mesmo assim, conseguiu virar um jogo embotado, em que teve a posse da bola mas esbarrava numa defesa muito bem armada pelo adversário. Saiu atrás no placar e conseguiu virar com dois gols de Pedro, o menino-artilheiro, ambos de puro instinto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *