Noite de Borja e Everton Ribeiro

Foto: Djalma Vassao/Gazeta Press

Borja, no Parque, Everton, no Maracanã. Juntos, somaram cinco gols nesta noite de quarta da Libertadores, consolidando o primeiro lugar do torneio ao Palmeiras e a passagem do Flamengo para a próxima fase.

Mas, o que deu nesses dois que ainda outro dia eram alvos de críticas da torcida e da mídia?

Bem, cada um com suas razões.

No Parque, Borja, contra o Juniors Barranquilha, finalmente, foi atraído para o jogo, saindo daquele exílio em que habitualmente é colocado pela ausência de um futebol de passes trocados, evolução natural a partir do meio de campo e tal e cousa e lousa, não por acaso quando o Verdão atua com dois volantes típicos – Felipe Melo ou Tiago Santos e Bruno Henrique. Além da presença ausente de Lucas Lima dos últimos tempos, claro.

Embora recheado de reservas, nesta noite, o Verdão contava com apenas um volante de ofício – Tiago Santos -, que, aliás, jogou muito bem. De resto, lá estavam municiando Borja dois meias leves de toque e movimentação – Tchê-Tchê e Guerra, ajudados pela versatilidade de William, que faz bem aquela meia-lua nas proximidades da área inimiga, de uma ponta à outra.

Dessa forma, Borja esteve no centro das ações ofensivas verdes, seja marcando os três gols, seja tabelando com os companheiros,, num jogo lancinante, que, se terminasse com o placar dobrado, não seria nenhum exagero.

Tanto, que Prass e Viera, os dois goleiros, mereceriam sair de campo com o radinho virtual do passado. Mais ainda Prass, que defendeu aquele pênalti mal marcado pelo juiz, o mesmo apitador que não deu o impedimento de Gutierrez no gol de honra dos colombianos.

Foto: MAURO PIMENTEL/AFP

No Maracanã, a redenção definitiva de Everton Ribeiro, já semeada nas últimas partidas, sobretudo naquelas em que Diego esteve ausente, veio com os dois gols da vitória rubro-negra diante do Emelec, em especial o de falta a la Zico canhoto, no finzinho da partida. Isso, porém, foi resultado de seu posicionamento em campo, atuando mais pelo meio, como convém a um jogador de seu estilo e talento.

Essa mania dos técnicos atuais de abrirem os meias para as pontas, a fim de dar passagem aos volantes é uma praga que precisa ser banida do nosso futebol.

No caso do Fla, jogando com apenas Cuéllar como volante, abriu-se no meio o campo mais fértil para as aptidões do meia Everton Ribeiro.

Nada na vida é mero acaso. E o que é o futebol senão reprodução do nosso dia a dia?

8 comentários

  1. O GRANDE DESTAQUE DA MIDIA TEDENCIOSA FOI A NÃO COMEMORAÇÃO DO GOL DE BORJA E NÃO A GRANDE ATUAÇÃO E MELHOR CAMPANHA DA HISTORIA DO PALMEIRAS, POR ISSO TORCEDOR PALMEIRENSE ANALISE BEM AS MATÉRIAS E NÃO SE DEIXE MINADO E SAINDO PEDINDO A CABEÇA DE TODO MUNDO NUMA DERROTA, TIRANDO A PERCA DA FINAL DO PAULISTA NO ALIANS TIRADA NA MÃO GRANDE POIS O PENALTY DADO SERIA CONVERTIDO E RESTO O PALMEIRAS ESTA INDO MUITO BEM OBRIGADO
    PRASS O NOME DO JOGO AO LADO DE BORJA, TEM QUE INALTECER MAS TAMBÉM LEMBRAR QUE JAILSON GANHOU A POSIÇÃO POR MÉRITO E PELO JEITO ESTÃO EM ALTO NÍVEL (O QUE ESTÁ FALTANDO EM OUTRAS POSIÇÕES). PERFEITO COMENTÁRIO DE PRASS, A TORCIDA DO PALMEIRAS É APAIXONADA DEMAIS, ITALHANADA É ASSIM FALA MUITO

  2. Alberto Helena Jr.

    Concordo em gênero, número e grau com o que disse o internauta Cesar em relação a boa parte da mídia esportiva brasileira, tendenciosa, clubística, vendida, sem ética e provocadora, tem um vermelhinho de butique, velho conhecido pão com mortadela, que prega comunismo e socialismo e ditadura com viés esquerdista, porém mora em apartamento de alto padrão em prédio situado em um dos bairros (Higienópolis) mais caros de São Paulo, gamba assumido, cínico, vive publicando post provocativos e pejorativos contra o Verdão, despido de qualquer ética profissional, todos sabem quem é não precisa nem dizer o nome, vai chafurdar na mediocridade de todos que se cmportam como ele na mídia esportiva, porém em toda regra há exceções e jornalistas como Mauro Betting, Alberto Helena Jr. e mais alguns dignificam e muito a profissão que abraçaram com ética, isenção e profissionalismo. Saudações palmeirenses.

  3. É so ganhar um joguinho que nao vale nada.ai vem o palmares sem mundial comemorar.calma não ganharam nada ainda.esse timeco super valorizado pela mesma midia que vceis estão criticando vai ser igual o flamingau .fica so no quase. vai dar grêmio de novo esse ano.

    1. Alberto Helena Jr.

      Pergunto ao internauta J roberto quem é que é o líder geral da Libertadores nesta fase de grupos, não podendo nem ser alcançado pelo Grêmio e já tendo assegurado o direito de jogar a partida de volta sempre no Allianz Parque, inclusive a final se for vencendo essas fases que virão pela frente, então meu amigo J roberto SIGA O LÍDER VERDÂO na Libertadores. Saudações palmeirenses.

  4. Caro Alberto, Acabo de assistir seu comentário sobre a pronúncia do nome do Guerrero.. Concordo com sua pronúncia e acrescento: Avise o pessoal da Gazeta que a pronúncia correta é “DefensOr (Defensor Sporting Club) e não DefEnsor como adoram chamar.

    J. Aurelio González Medina

  5. Lider geral não garante titulo. Ainda mais em um grupo que o famoso boca é un dos piores dos últimos tempos.time peruano e esse júnior do equador.todos babas.vamos ver de agora em diante como vai ser com esse timeco da tia leila que nem do pangare curintia consegue ganhar.kkkkk e o famoso faz me rir. Kkkkk vai imortal em rumo a mais um titulo das americas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *