Jogos Olímpicos de Moscou – 1980

moscou1980OLIMPÍADA ATRÁS DA CORTINA

Após anos seguidos de guerra fria e de um escasso intercâmbio entre cidadãos do leste e do oeste, a realização de uma edição dos Jogos Olímpicos em Moscou tinha o grande diferencial no encontro entre duas culturas e regimes diversos.

Mais uma vez, e dessa maneira de forma ainda mais intensa, os Jogos foram alvo da política. A invasão do Afeganistão pela União Soviética deu um pretexto para o presidente dos Estados Unidos, Jimmy Carter, decretar o boicote aos Jogos, procurando obter idêntica atitude dos países sob sua influência. Com esse fato conseguiu alijar dos Jogos Olímpicos nada menos de 61 países, entre os quais alguns com expressivo poderio esportivo, como o Japão e a Alemanha Ocidental. Este golpe político de Carter deixou para Moscou uma “meia Olimpíada”. Mais uma vez defendemos o conceito de que a agressão não foi ao país sede, mas ao próprio Olimpismo.

Dos 142 países inscritos inicialmente, apenas 81 foram aos Jogos, sendo que 66 desfilaram com suas bandeiras, quatro com a bandeira do COI (entre eles a Espanha) e não compareceram à cerimônia de abertura Bélgica, Grã-Bretanha, Irlanda, Holanda, Luxemburgo, Itália, Portugal, San Marino, Suíça e França.

Mesmo assim, a abertura não deixou de ser emocionante, principalmente pelo carisma do Ursinho Misha, que foi representado em coreografia humana. Mas foi na cerimônia de encerramento que ele causou mais emoção, quando derramou uma lágrima de despedida.

Brasileiros que foram a União Soviética contam histórias do rigoroso controle a que foram submetidos os concorrentes e os visitantes. Nem por isso a realização do evento deixou de ser brilhante, entusiasmada e bem organizada.

A queixa geral concentrou-se na arbitragem, criticada pelo protecionismo aos donos da casa. Os Jogos realizavam-se em um momento em que os países socialistas queriam comprovar sua hegemonia por intermédio do número de medalhas. Era o vencer de qualquer forma.

Alguns até acreditam que a atitude dos norte-americanos em não comparecer aos Jogos foi uma forma de não se expor a uma comparação, que provavelmente não lhes seria favorável. O nosso João Carlos de Oliveira e Nádia Comaneci foram duas vítimas deste espírito de vencer a qualquer custo, o que levou os soviéticos a conquistar quatro entre cada dez medalhas em disputa.

Os brasileiros compareceram com uma delegação de 109 atletas (15 mulheres), a maior que, até então, haviam levado aos Jogos Olímpicos.

Com 61 países a menos nos Jogos, o nosso desempenho melhorou. Conquistamos duas medalhas de ouro no iatismo, uma de bronze no atletismo e uma de bronze na natação.

O primeiro ouro foi obtido na Classe Tornado, tripulada por Alex Welter e Lars Bjorstrom, este um sueco naturalizado brasileiro.

O segundo ouro foi conquistado na Classe 470, com Eduardo Penido e Marcos Soares.

O bronze de João do Pulo foi obtido em circunstâncias que desagradaram o público brasileiro. Ele saltou 17m22cm. Dentre os 12 saltos nas fases eliminatórias e final, 9 foram anulados pelos juizes soviéticos, alguns de modo inexplicável e sem dúvida para favorecer a Vicktor Saneyev, então ídolo do país anfitrião.Um desses saltos de 17metros e 80 cm seria medalha de ouro, pois o primeiro colocado, Jaak Udmae da URSS, alcançou apenas 17 m 35 cm e o próprio Saneyev, que ficou com a prata, 17 m 24 cm. Esse episódio permanece como um grande e lamentável exemplo de falta de ética desportiva e fair play.

O outro bronze veio da equipe masculina de revezamento 4 x 200 metros, nado livre, integrada por Cyro Delgado, Djan Madruga, Jorge Fernandes e Marcus Mattioli, que na ocasião bateu o recorde sul-americano com o resultado técnico de 7m29seg30.

 

OS RESULTADOS

A participação brasileira neste evento apresentou os seguintes resultados:

 

Ouro

Iatismo (Vela) (Classe Tornado) (21,40 pontos)

ALEX WELTER

LARS BJORKSTROM

Iatismo (Vela) (Classe 470)   (36,40 pontos)

EDUARDO PENIDO

MARCOS SOARES

Bronze

Atletismo (Salto Triplo) (17metros 22cm)

JOÃO CARLOS DE OLIVEIRA

Natação (Revezamento 4 x 200-livre, masculino) (7 min. 29seg 30, Recorde Sul-Americano)

CYRO DELGADO- (1min 52s 35)

DJAN MADRUGA-(1min 52s 20)

JORGE FERNANDES (1min 52s 96)

MARCUS MATTIOLI (1min 52s 90)

4º lugar

Atletismo (Corrida 800 metros, masculino) (1 min 46 seg 2)

Agberto Guimarães

Iatismo (Vela) (Classe Finn) (53 pontos)

Cláudio Biekarck

Natação (400 metros Livre, masculino (3 min 54 seg 15)

Djan Madruga

5º lugar

Atletismo (Corrida Revezamento 4 x 400 metros, masculino) (3 min 05seg 9)

Agberto Guimarães, Antonio Ferreira, Geraldo Pegado, Paulo Correia

Basquete (Masculino)

Adilson, André, Cadum, Carioquinha, Cláudio Mortari (Técnico), Gilson, Gustavo, Luiz

Marcel, Marcelo Vido, Marquinhos, Oscar, Pedroca (Técnico), Saiani, Wagner

Judô (Médios, entre 78 kg e 86 kg)

Walter Carmona

Natação (400 metros Medley, masculino) (4min 26seg 81)

Djan Madruga

Pugilismo (Boxe) (Médios-Ligeiros, entre 67 e 71 kg)

Chiquinho de Jesus

Pugilismo (Boxe) (Penas, entre 54 kg e 57 kg)

Sidnei dal Rovere

Vôlei (Masculino)

Amauri, Badalhoca, Bernard, Bernardinho, Deraldo, João, Montanaro, Moreno, Paulo Russo (Técnico), Renan, Suíço, William, Xandó

6º lugar

Iatismo (Vela – Classe Solling) (47,1 pontos)

Gastão Brun

Roberto Luiz Martins

Vicente Brun

7º lugar

Vôlei (Feminino)

Denise, Eliana, Ênio Figueiredo Silva (técnico), Fernanda, Isabel, Ivonette, Jacqueline, Josenildo de Carvalho, Lenice, Maria, Paula, Regina, Rita, Vera Mossa

8º lugar

Atletismo (Revezamento 4 x 100 metros, masculino) (39seg 54)

Altevir Araújo Filho, Katsuhico Nakaya, Milton Castro, Nelson dos Santos

Iatismo (Vela) (Classe Flying Dutchman) (63,4 pontos)

Manfred Kalfmann

Reinaldo Conrad

Natação (Revezamento 4 x 100 metros Medley) (3min 53 seg 23, Recorde Sul americano)

Cláudio Kestener, Djan Madruga, Rômulo Arantes, Sérgio Ribeiro

Remo (Quatro com Patrão, Masculino, distância 2000 metros) (6 min 33 seg 29)

Henrique Johann, Laildo Machado, Manoel Therezo Novo, Walter Soares, Wandir Kuntze

9º lugar

Iatismo (Vela) (Classe Star) (85 pontos)

Eduardo de Souza Ramos

Peter Erzberger

Judô (Meio-Médios, entre 71 kg e 78 kg)

Carlos Alberto Cunha

Tiro (Pistola Livre, distância 50 metros) (558 pontos)

Silvio Carvalho de Aguiar e Souza

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *