Abel tinha razão, né?

 

O arrogante Flamengo capitulou. Abel Ferreira criou um sistema, que engoliu o time carioca dando mais um título da América ao time paulista. O Flamengo foi óbvio como era de se imaginar. Renato Gaúcho não nega que prefere as praias ao estudo. O português faz exatamente o contrário e isso fez diferença na hora de decidir. Abel não tinha o mesmo material humano, mas tinha a estratégia a seu favor. Sabia criar uma e o Flamengo teve que retornar ao Brasil saindo escondido pelo setor de cargas do Galeão.

O vitorioso Palmeiras venceu sozinho. O time foi contestado o tempo topo e Abel Ferreira até ofendido porque jogou com reservas num jogo sem a menor importância do Brasileiro. O adversário era o São Paulo, mas ele pensou grande. Não havia nada maior do que alcançar o rival em títulos de Libertadores, o que acabou ocorrendo.

Talvez o futebol brasileiro ainda esteja muito preso a regionalismo antigos. Pensa-se no vizinho não no mundo. A globalização ainda está longe da cabeça de várias pessoas no futebol brasileiro. E creio que o brilhante treinador, o único a ganhar duas Libertadores em menos de um ano, esteja cansado de tentar mudar isso. Talvez deixe as briguinhas menores, para mentalidades menores e vá atrás de voos mais ambiciosos. Se eu fosse ele, faria isso.