Dinheiro curto

 

O fair play financeiro é muito significativo em todos os sentidos. La Liga, que cuida do futebol na Espanha, divulgou os novos números permitidos para gastos dos clubes espanhóis na próxima temporada. E eles caíram bastante, perto de 20% dos orçamentos normais. Isso significará queda de investimentos e também de salários. Em síntese, menor competitividade.

Alguns clubes chegaram a quase 50% de queda, caso do Barcelona, o que mostra que vai demorar para retomar o protagonismo que já teve. Se é que retomará. Os próximos anos serão complicados para os catalães, que durante muito tempo foram o grande sonho de consumo dos principais jogadores do mundo.

É bom deixar claro, que a limitação de gastos surge por causa da capacidade financeira que as equipes demonstram. Com o Barcelona endividado, sua condição de compra baixa bastante. Então o fair play financeiro protege os profissionais, garantindo que seus salários serão pagos em dia. E isso vale para todas as divisões. Quem trabalhar, sabe que irá receber. É o mínimo que se pode querer de organizações sérias no futebol. O Brasil passa bem longe disso, infelizmente. Receber em dia é quase uma questão de sorte para que vive no mundo da bola brasileiro.