Comentários rasos

 

A competência de Abel Ferreira bateu na trave. A de Sylvinho entrou no angulo. As avaliações de futebol estão cada vez mais ligadas aos resultados. Se Veron tivesse feito o gol, que parou na trave de Cássio, o treinador português receberia elogios pelo pragmatismo. Como perdeu, tem poucas ideias. Para Sylvinho o chute de Roger Guedes o transformou num visionário.

O futebol deixou de ter análises mais aprofundadas. Tudo fica limitado ao espaço mais raso. Quem ganha é bom, quem perde não serve. Temos cabeça de cartolas, que tanto criticamos. E desta forma nem é necessário analisar nada. Na verdade nem precisa ver o jogo. Ficamos cada vez mais simplórios e com comentários dispensáveis.