Um clube com duas caras

 

 

O Flamengo de Bandeira de Melo alinhou as contas e tornou-se, pelo menos aparentemente, um exemplo  de gestão financeira. De um time endividado passou a potência financeira se tivermos por base o futebol sul americano.  Muita gente fugia do clube, hoje é um sonho de consumo para quem não tem espaço na meca do esporte, que é a Europa.

Mas quando falamos em projeto de futebol é terrível. Não há a menor lógica no que se faz. Landim trouxe Abel Braga como seu técnico ideal. Depois trocou por Jorge Jesus não por lógica, até porque os estilos são antagônicos. Jorge Jesus caiu no colo.

Quando ele saiu chamou Abel Braga de novo, após procurar no mundo todo e sair com Dome como solução, para o qual ele não deu tempo de trabalho. Aí veio Rogério Ceni que da mesma forma não foi respeitado. E agora tem a modinha Renato Gaúcho. Convenhamos que não é exemplo para nada.