O anjo perdeu da Covid

 

Em 1989 fui cobrir a Copa América, que seria no Brasil, na cidade de Goiânia para acompanhar a Argentina. Minha missão era entrevistar Maradona, algo que felizmente consegui. Mas a história não é essa. Hoje lembrei de um dia de folga. Fomos ao CT do Goiás e lá organizamos um Brasil e Estrangeiros da imprensa. Era uma brincadeira entre todos que estavam lá cobrindo a competição.

Resolvi jogar mesmo sendo péssimo. E até por essa razão jogo em qualquer lugar. Pensei no ataque mas os zagueiros deles eram Ancheta e Figueroa. Não dava nem para pegar na bola. Na defesa também não dava. Valdano era o centro avante. Optei pelo meio onde estava dois gordos, que não sabia o nome e um senhorzinho com o cabelo todo branco. Fui lá.

Na primeira bola que recebi o tal “senhorzinho” antecipou-se. Sem a menor dificuldade me deu três chapéus seguidos e saiu jogando. Na segunda antecipou-se, deu uma caneta e saiu sorrindo. Eu estrategicamente “senti” uma dorzinho e desisti do jogo. E quis saber que era ele. Era Rafael Albrecht, ex craque do San Lorenzo na sua maior formação a dos Anjos da Cara Suja. Ontem Albrecht morreu de Covid aos 79 anos. Nunca mais time contato com ele. Mas confesso que me deu uma pontinha de tristeza relembrando aquele dia e aquele craque que se foi também, perdendo para o Coronavírus.