A chance

 

A pandemia mundial é uma lástima. Vidas estão se perdendo em todos os pontos e o futebol também paga sua cota, parado, com prejuízos e sem previsão de retorno. No Brasil não é diferente, mas nas adversidades encontramos muitas vezes, oportunidades de crescimento.

Algumas coisas estão bem claras. A primeira é  que temos mais jogos do que podemos suportar e que chegou o momento de alinhar o calendário com o mundo. A segunda que os clubes não podem contar com CBF e Federações para nada. Afinal, não houve qualquer manifestação de apoio ou solidariedade destas entidades, que exploram os nossos times, 365 dias por ano.

Até a famigerada Conmebol já disponibilizou verbas e deu sua contribuição no momento difícil das agremiações. Tudo que se sabe da CBF é que ela pediu aos clubes, especialmente os menores, que não se manifestem publicamente cobrando algo da entidade. Mas nada foi oferecido em termos de ajuda

Aí está a chance de mudanças radicais. Uma Liga, dos clubes, teria logicamente dado respaldo  a eles neste momento. A CBF é de um grupo de engravatados, que não se importa com a outra ponta do jogo. Além disso ficará na nossa mão a equiparação do calendário nacional com o resto do mundo. Poderemos,, finalmente, deixar de caminhar na contra mão. A chance está aí. Os cartolas dos nossos clubes, podem usá-la ou seguirem submissos.