Culpa do presidente

 

O Atlético Mineiro está sem técnico novamente. Desde que Sergio Sette Câmara assumiu o comando em dezembro de 2017, o tradicional clube mineiro ficou sem um comandante oficial em campo por 238 dias. Claro que é impossível cobrar-se algo consistente de uma gestão que pensa desta forma.

Dudamel não pode ser julgado. Mal chegou. O próprio Sette Câmara declarou isso há 6 dias. Mas foi demitido. E com ele o diretor Rui Costa e o ex jogador Marques, que também era da comissão técnica. Deu várias cabeças mas permanece e fala em reeleição.

Infelizmente os grandes clubes brasileiros estão tomados por “donos”, que não tem qualquer responsabilidade direta. Daí minha defesa por empresas, que mandem de verdade, arcando com lucros e prejuízos. Tudo que o Galo perdeu com contratações frustradas, não será reposto pelo presidente.

Este modelo de gestão levou nosso futebol ao triste estágio que se encontra e senão for interrompido rapidamente, tenderá a levar a fracassos cada vez maiores. Outros “cruzeiros” virão. Abaixo a relação dos treinadores do período de presidência de Sette Câmara. Parece que treinador não é algo que ele leve muito a sério.

11/12/17 até 09/02/18: Oswaldo de Oliveira (60 dias)
09/02/18 até 25/06/18: Thiago Larghi como interino (136 dias)
25/06/18 até 17/10/18: Thiago Larghi efetivado (114 dias)
17/10/18 até 11/04/19: Levir Culpi (176 dias)
11/04/19 até 24/06/19: Rodrigo Santana como interino (74 dias)
24/06/19 até 13/10/19: Rodrigo Santana efetivado (111 dias)
13/10/19 até 14/10/19: Lucas Gonçalves seria o técnico provisoriamente (1 dia)
14/10/19 até 08/12/19: Vagner Mancini (55 dias)
09/12/19 até 04/01/20: sem técnico (27 dias)
04/01/20 até 27/02/20: Rafael Dudamel (54 dias)