Perdendo referências

 

 

Os dois melhores treinadores de 2019 no Brasil poderão sair no final do ano. Os motivos são diferentes. Sampaoli não se acerta com José Carlos Peres e dificilmente cumprirá o contrato, que mantem com o Santos, até dezembro de 2020. Jorge Jesus fez um desabafo sobre os maus tratos que tem sentido da parte dos brasileiros, seus companheiros de profissão.

Sampaoli quer um time competitivo. Dentro da normalidade terá menos do que possui agora. Jesus não suporta mais as manifestações de ciúmes e inconformismo dos técnicos locais, que ficam malucos cada vez que ouvem elogios ao português, que mostrou a todos como se ganha jogando bem.

Lamento muito. Espero que as coisas mudem e que mais treinadores estrangeiros possam chegar. Não entendo que só existam incompetentes no Brasil. Pelo contrário, tem bastante gente de qualidade, mas que se acomodou com as gestões ridículas, que cobram resultados imediatos, mesmo que o futebol apresentado seja precário.Jogam e treinam para sobreviver o máximo possível nos cargos.

Jesus e Sampaoli, sem as amarras locais, chegaram e puseram seus times para frente, sofrendo alguns vexames, mas encantando todos no final da história. Se mais gringos chegarem os dirigentes terão que mudar suas posturas e isso ajudará até aos brasileiros.

O Brasil parou taticamente. Quem arrisca um pouco é crucificado. Os próprios torcedores se acostumaram com a pobreza técnica e tática. Mas agora, com as demonstrações de beleza e resultado, obtidos por Sampaoli e Jesus, o grau de exigência deverá ser mais alto. E cá entre nós, isso será bom para todos.