Tite fora de lugar

 

O Brasil voltou a jogar mal e perdeu da Argentina. E voltam as contestações sobre o trabalho de Tite. De fato entendo que ele esteja fora do lugar. Tite é disparadamente o melhor técnico brasileiro. Estudou, evoluiu cresceu muito e consegue, em parte, colocar suas idéias, que passam por um novo modelo de jogo para a seleção brasileira. Mas essa não costuma ser a função dos grandes treinadores.

Nos países mais tradicionais do futebol os grandes técnicos trabalham conceitos em clubes,  que são espelhados pelas seleções. A Espanha, campeão mundial de 2010, era o Barcelona de Guardiola. A própria Alemanha de 2014 teve enormes reflexos do Bayern também de Guardiola, que nunca dirigiu qualquer seleção.

O passo adiante, as renovações táticas, as idéias de jogo, devem virar filosofias das seleções. Mas tem que começar no Sub 11, através de uma grande disseminação do modelo de jogo em várias partes do país, selecionando os jovens mais aptos para desenvolverem aquilo, que se criou, como sistema a ser usada pelas equipes nacionais.

No Brasil não existe isso. André Jardine pensa o futebol de forma muito diferente de Tite. E ele é o treinador da seleção olímpica, em tese, a base dos times das Copas de 2022 e 2026. Mas os conceitos treinados são diferentes na equipe principal. Se Tite sair seu conhecimento sai junto e começa-se do zero.

Não há necessidade do melhor treinador do país estar na seleção nacional. Basta seguir o modelo dele nas diversas etapas dos jogadores do começo até a equipe principal. Southgate faz uma revolução na Inglaterra e nunca foi destaque em nenhum clube. Joaquim Low o mesmo na Alemanha. Sem falarmos de Vicente Del Bosque campeão mundial com a Espanha.

O que conta é saber antecipadamente o caminho que se quer trilhar. No Brasil não fez assim. Não há definição do que se pretende, e então vivemos um eterno recomeço. Tite é bom demais para passar pelo que passa. O ideal seria estar difundindo seus conhecimentos em clubes e aperfeiçoando conceitos. Cria-se um modelo a ser seguido Aí nunca se pararia de crescer. Do jeito que está, nosso melhor treinador está muito fora de lugar e depende de resultados imediatos, para receber críticas ou elogios.