Inteligência tática

 

 

 

 

O São Paulo começa nova vida e agora de forma ousada. Fernando Diniz é um passo a frente. O São Paulo sempre foi revolucionário. Perdeu essa identidade nos últimos tempos e foi ficando para trás. Agora pode ser novamente uma referência. Diniz não faz o óbvio, faz o correto. Basta olhar o que se joga na Europa, principal centro futebolístico do mundo, para percebermos o quanto paramos no tempo.

O novo treinador está animado. Detecta muitos jogadores com inteligência tática acima da média. E isso faz total diferença. A inteligência para o jogo não tem nada com o dia a dia dos nossos atos. Um PHD em Física, um mestre em Ciências ou um matemático, talvez não entendam o coletivo do futebol.

A longevidade de Daniel Alves, por exemplo, é claramente explicada pelo entendimento que ele tem da tática. Hernanes da mesma forma, só para citar alguns. O goleiro Thiago Volpi parece perceber bem como funciona a movimentação de um time, a hora de sair e arriscar e o momento de acalmar tudo embaixo do gol.

Por último há o fator confiança. É preciso acreditar no projeto e os jogadores são praticamente sócios das ideias de Fernando Diniz. Pode dar certo e se der será um grande avanço para o futebol brasileiro. Sabemos que os cartolas trabalham por  “modismo”. Se Diniz funcionar virão outros. Aí  valerá a pena voltar a apreciar o jogo no Brasil.