Boa, Gajo

Foto: Alexandre Vidal/CRF

Foi sensacional. O Flamengo esmagou o Goiás, vencendo por 6 a 1 e procurando gols até o último minuto. 500 passes corretos, 28 finalizações, 11 escanteios, 67% de posse de bola contra um time que faz uma boa campanha dentro dos seus limites e com um treinador, Claudinei Oliveira, que não costuma ser goleado.

As ideias de Jorge Jesus são específicas e um tanto fora do padrão, especialmente na aposta em dois atacantes centralizados. Eles se movimentam, mas não pelos lados e sim na direção da área adversária. Isso foge um pouco do convencional nos dias atuais. Mas funcionou bem não só contra o Goiás, como no meio de semana contra o Athetico PR.

O trabalho só está começando, mas é positivo. Sinaliza coisa boa. O Campeonato Brasileiro nos últimos anos tem mostrado muito medo dos treinadores. As defesas são Plano A e B. Depois se preocupam, um pouco, em atacar e basta fazer um gol para que todos recuem.

As coisas começam a mudar, felizmente. Temos Sampaoli e seu Santos, o Fluminense de Fernando Diniz, o próprio Athetico de Thiago Nunes e o Grêmio de Renato Gaucho. Agora chega o Flamengo procurando marcar gols. Boa, Portuga. Ajude o futebol brasileiro a voltar a ser grande.