Argentinos na Champions

 

 

 

Imaginem os jogadores do Boca Juniors, emocionados, ouvindo o Hino da Champions League. O que parece cena de ficção chegou a ser considerado pelos argentinos, após as confusões na Copa América vencida recentemente pelo Brasil. Legalmente nada impede, mas ficou claro que a cogitação argentina não será realidade, pelo menos pelo motivo apresentado.

A disparidade do futebol sul americano com o europeu no dias atuais, também seria um problema a ser combatido. Uma coisa são os jogos “de briga” no nosso continente e outra os eventos criados pela Uefa,, que encantam multidões como shows de sinfônicas.

Mas claro que com o tempo a distância poderia diminuir. Num evento Uefa os ganhos são infinitamente maiores. Não haveria necessidade de vender jogadores às pecas para sobrevivência. E os próprios jogadores estariam no grande circuito da bola. Seriam destaques nos seus times de origem.

Foi uma especulação mais motivada pelo fígado atravessado dos argentinos, do que algo realmente pensado. Mas por um momento imaginei a situação. E envolvi inclusive brasileiros e alguns bons colombianos, junto com os tradicionais uruguaios. Seria o verdadeiro Mundial de clubes. Esse entre os grandões e não algo só político. Talvez fosse a única maneira do futebol de clube voltar a ter relevância nas Américas.