Medo de perder

Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press

Mais um zero a zero. E a tendência é outro empate no próximo domingo. Os teóricos grandões viraram times medrosos. Ninguém arrisca mais nada. 45% dos clássicos no atual campeonato, terminaram sem gols. E isso que temos o Santos como uma exceção, equipe que joga futebol de verdade.

A culpa não é só dos técnicos, mas do contexto no Brasil. Os clubes não seguraram nenhum trabalho. Aliás sequer existem estilos definidos. Trocam os treinadores e eles colocam seus próprios sistemas. Se der resultado continuam, quando há alguma dificuldade trocam tudo, começando sempre um novo e completamente diferente, trabalho.

Ninguém evolui. O São Paulo, que está na decisão, teve o segundo jogo do seu treinador. Domingo será a terceira partida de Cuca, o terceiro técnico do ano, mesmo estando apenas na metade de abril. O Corinthians trocou o time todo e trouxe de volta Carille imaginando milagre, mesmo sem tempo para ele treinar.

O resultadismo é o salvaguarda dos comandantes. Seguram os jogos, não arriscam, protegendo os cargos. Os cartolas aceitam as pressões internas e dão cabeças com enorme facilidade. Aí ficamos vendo jogos paupérrimos tecnicamente. E não consigo ver nada diferente para o futuro.