O maior negócio da história do futebol

Neymar se foi. Eu gosto muito do Barcelona e como admirador do que se faz lá, em termos de futebol, lamento. E paro por aí. Neymar vai ganhar um dinheiro estratosférico. Vai morar em Paris,  será o principal nome da Liga Francesa e homem de destaque na propaganda da Copa de 2022, o que significa mais dinheiro ainda. Jogar no Barcelona foi maravilhoso. Abrir novos caminhos é um desafio que alguns aceitam e outros não. E isso é muito pessoal.

O PSG tinha oferecido 3 ilhas e um hotel em Copacabana para Neymar, há alguns anos, mudar de time. Ele não quis. Veio a nova oferta, um novo momento e lá se vai ele. Para muitos será mais difícil ser o melhor do mundo. Se eu fosse jogador de futebol não colocaria isso como prioridade. Afinal se na lista dos melhores temos nomes históricos, há também Nedved, Canavaro, Kaká, Figo, Weah, Rivaldo, jogadores brilhantes, mas que se tornaram primeiros por mera circunstância. Não passarão para a história entre os 100 maiores de todos os tempos.

Neymar sim, estará nessa lista com ou sem o título da Fifa. O mesmo vale para  conquista de uma Copa do Mundo. Messi talvez não ganhe. Cristiano Ronaldo também. Mas eles estarão entre os maiores de todos os tempos sem nenhuma dúvida. Muito mais do que o Brito, o Luque, o Podolski, Anderson Polga e outros que venceram esse espetacular torneio, em virtude de estarem no lugar certo, na hora certa. Só isso.

Cada um sabe de si. As críticas feitas a Neymar vão desde o cabelo, as tatuagens, as mulheres com quem sai ou não, a irreverência. Comparam o comportamento dele com o do Messi. Romário sempre teve confusões fora do campo e conseguiu o que bem quis dentro de campo. Já o nosso querido Marcio Araujo é um exemplo de bom comportamento, não cria polêmica e tem um futebol apenas comum, embora cumpra o que dele se espera. Comportamento é algo pessoal.

Cada um é cada um. Neymar tem o jeito dele e é um gênio da bola. Mobiliza multidões, vale cada centavo que recebe e dará novo status não só ao PSG mas também a Liga Francesa. O número de torcedores do clube aumentará no mundo todo, especialmente entre as crianças brasileiras, como já ocorreu com o Barcelona. Eu mesmo passarei a assistir a Liga One, coisa que não me interessava muito, até agora. Que Neymar seja feliz na nova empreitada. E caso não dê certo, ficará mais rico, que é o objetivo de todo profissional, e terá centenas de outros clubes para escolher, quando o contrato com o PSG terminar.