Ficou pra Itaquera!

Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press

O inicio do jogo no Morumbi criou certa ilusão de uma final emocionante. Com menos de um minuto, dois chutes a gol, um de cada lado, sinalizavam com uma partida movimentada. Mas tudo ficou no imaginário. A expectativa de um grande jogo foi dissipada aos poucos com o passar do tempo. Poucas chances agudas foram criadas. A mais significativa aconteceu no final da primeira etapa quando Arboleda cabeceou pra difícil defesa de Cássio. A bola não entrou por pouco.

O São Paulo trouxe Hernanes para o segundo tempo e pressionou um pouco mais. Livre entre as duas linhas de marcação corintiana, o meia apareceu tanto na armação de jogadas quanto como opção de arremate. Foram dele as mais perigosas finalizações da etapa final.  Pelo que produziu na segunda metade do jogo, o Tricolor merecia melhor sorte. Nem tanto pela eficiência na criação, mas pelo volume. Controlou a partida, dominou o Corinthians que, por outro lado, assim como aconteceu contra o Santos, se encolheu ante um adversário mais agressivo, embora não seja possível comparar o futebol desse time do Cuca com o apresentado pelo pupilos de Sampaoli. O que chama a atenção é a incapacidade corintiana de criar ou de trocar pelo menos cinco passes em sequência.  Mais uma vez o alvinegro decepcionou, ficou devendo melhor futebol.

De qualquer forma, o 0 a 0 fica de bom tamanho para o time de Carille que decide em casa no próximo domingo. Tem mais uma oportunidade de jogar bem e fazer por merecer a conquista do título diante de sua torcida. Ao São Paulo resta o consolo de que tem força pra enfrentar o rival fora de casa. Um novo empate leva aos pênaltis, assim como aconteceu nas semifinais contra o Palmeiras fora de casa. E cá entre nós, trata-se de algo bem viável.

2 comentários

  1. NOVAMENTE O PALMEIRAS FOI O MELHOR TIME DO PAULISTA, MANTENDO UMA REGULARIDADE O QUE SERIA MAIS JUSTO POIS FOI CONQUISTADO DENTRO DE CAMPO, MAS COMO FUTEBOL NÃO TEM JUSTIÇA NOVAMENTE MAIS UM TITULO FOI AJEITADO PARA O CURINTIA, POR ISSO O PALMEIRENSE TEM QUE MEDIR ESSAS SITUAÇÕES, EM UM JOGO TUDO PODE MUDAR, O EXEMPLO ESSE ANO FOI O SÃO PAULO, MAS PARA A MIDIA O QUE VALE É TÍTULO, ENTÃO ASSIM SEJA…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *