Empate com sabor de goleada

Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press

Empate em casa na primeira do mata-mata não é, e nunca foi, considerado bom resultado. Mas pelas circunstâncias do jogo no Allianz Parque, o placar de 3 a 3 tem sabor de goleada palmeirense. O anfitrião tomou um vareio do Cruzeiro no primeiro tempo. O time mineiro abriu 3 a 0 e desenhava o caos no belo estádio paulistano. Thiago Neves era o artista principal. Rabiscou a tragédia com gol e assistências que fizeram tremer o torcedor alviverde.

A questão é o que Palmeiras também conta com artistas renomados e brilhantes. Tanto que do caos à gloria bastaram 20 minutos. E neste curto período que transformou o parque em pura diversão, o brilho foi de Dudu. O baixinho e eficiente atacante fez dois gols em apenas nove minutos e incendiou o estádio. Se alguém tremia nesta altura do jogo, esse alguém era o Cruzeiro. O empate era questão de tempo tamanha pressão palmeirense. E ele veio com belo gol de Willian.

Havia tempo ainda para uma histórica virada e chances foram criadas. Nada a lamentar, entretanto. O empate em casa encheu de moral os pupilos de Cuca que vão de cabeça erguida a Minas em busca da vaga. Vai ter que ganhar lá! Mas sabe que pode. Ao Cruzeiro resta lamentar.

Invencibilidade mantida

Não fosse Balbuena acertar um belo cabeceio aos 47 do segundo tempo, o Corinthians teria perdido na Colômbia para o novato Patriotas. Derrota justa, diga-se de passagem, considerando o fraco futebol apresentado pela equipe. Só que a fase é boa e quando é boa, os deuses ajudam. A invencibilidade já dura 24 jogos e a confiança segue inabalada.

 

Um comentário

  1. E nada de falar do melhor jogo da rodada,onde o Mengao não tomou conta da piaba do santos e meteu 2×0 e poderia ser muito mais, graças ao goleiro que fez pelo menos uma 5 defesas difíceis.Mas entendo sua dor de cotovelo em não querer falar do melhor elenco do Brasil .E viva o Mengao.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *