O esporte perde Braguinha e Alvaro Flores

Braguinha entre Emerson Fittipaldi e Ayrton Senna (Foto: Instagram/Emerson Fittipaldi)

Mesmo sem ter certeza absoluta de que os Jogos serão mesmo realizados este ano entre julho e agosto, atletas e treinadores têm como meta, na temporada, a viagem a Tóquio, sede da próxima edição olímpica. A Covid 19 impediu que a maior competição do planeta fosse disputada em 2020.

O que será do Brasil – prevendo que o evento acontecerá – nos próximos Jogos? Difícil prever.

Primeiro, vamos torcer para que as vacinas, que começam a ser aplicadas, afastem o perigo de o coronavírus impedir novamente a realização olímpica, O que todo o mundo do esporte admite é que os próximos Jogos serão diferentes dos que foram realizados pelo menos desde 1948.

E o esporte perdeu nomes importantes neste 12.01.2021: o empresário Antonio Carlos de Almeida Braga, de 94 anos, importante esportista da segunda metade do século 20, e o corredor colombiano Alvaro Mejia Flores, de 80.

Braguinha, como era chamado o empresário, promoveu obras que ajudaram atletas das mais diferentes modalidades. Seu principal trabalho foi o feito no vôlei. Carlos Arthur Nuzman, então presidente da CBV, e o apresentador de TV Luciano do Vale, levaram o  esporte a um lugar entre os melhores do mundo.

Já Alvaro Mejia Flores venceu a São Silvestre em 1966, impedindo o tricampeonato do belga Gaston Roelants (que foi campeão novamente em 1967 e 1968).

Alvaro Mejia Flores (Foto: Acervo/Gazeta Press)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *