Recado de Sampaoli

Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press

A prioridade dele é ser protagonista do jogo. Abrir mão desse conceito, nunca! Ele me disse e eu acreditei.

A obsessão pela bola, em controlá-la, em colocá-la no gol adversário (não de qualquer jeito, mas levando-a, de pé em pé, até o encontro explosivo com a rede) é seu objetivo acima de qualquer outro.

Chuveirinhos, cruzamentos quaisquer, bicões para frente são macetes do futebol, que muitas vezes dão resultado – nem sempre, prazer. Vencer na marra, na sorte, no bumba meu boi, provoca alívio, felicidade, segura emprego, mas não é garantia de jogo bem jogado.

Pude comprovar essa tese, ao vivo, no último sábado. Trabalhei no jogo do Santos contra o Mirassol no Pacaembu. Sampaoli, gringo, recém-chegado, ainda se ambientando, com pouco tempo de trabalho para armar a equipe principal do Peixe, escalou o chamado mistão. E apesar dos vários reservas em campo (material humano tecnicamente limitado), o coletivo funcionou, justificando sua filosofia, independentemente de ter ou não um craque no elenco.

Seus comandados não deixam o rival respirar. Brigam por todos os espaços do campo, com ou sem a bola. Em posse dela, os jogadores tocam, evoluem, avançam, não se desesperam, mesmo com o passar do tempo. Atenção a leitura do jogo! Acelerar ou cadenciar é do futebol – não confundir com pressa ou preguiça.

Furar a retranca do Mirassol na rodada passada foi uma luta. Só aconteceu aos cinquenta do segundo tempo. Rolou na raça, com Jean Mota se esticando, de carrinho, se ralando todo para empurrar a criança no barbante. Não houve pânico e sim frieza para continuar procurando o gol à moda Sampaoli. E se não saísse, paciência…ganhar, perder ou empatar é do jogo.

Porém, antes do esforço do artilheiro no ato final, a construção da jogada demostrou a capacidade de comando do “prof”, e como seus atletas reagem aos estímulos do baixinho argentino: goleiro que inicia ações com os pés; zagueiros adiantados que distribuem a bola para os meias e laterais; que por sua vez triangulam passes, ora por dentro, ora pelos lados; isso sem falar da ausência de um centroavante nato, por enquanto.

A genialidade de Jorge Sampaoli não tem nada a ver com fórmulas mirabolantes de professor pardal, ou conhecidos sistemas táticos…3-5-2, 4-3-3, 4-4-2, 4-2-3-1 etc, etc, e etc. Está sim na simplicidade de sua estratégia. Há tempos não via tão claramente o dedo de um técnico entrando em ação. Há tempos não via tão claramente jogadores medianos tendo coragem de jogar bola, em vez de livrar-se dela.

Acho que Sampaoli passou por aqui para relembrar que o Brasil, um dia, soube jogar bem futebol…

17 comentários

  1. Boa resenha. Mas acredito que vc poderia trocar o tempo verbal da frase: “Acho que Sampaoli passou( Passa) por aqui para relembrar que o Brasil, um dia, soube jogar bem furtebol”.

    1. Realmente…..isso mesmo…. um texto e tanto…..e so faltou esse pequeno detalhe….alias….na realidade nao deve ser – passou ou passa- e sim esta – .aqui.

  2. ALEXANDRE,você foi feliz em suas colocações,eu admiro esse SAMPAOLI,da forma que ele coloca seus times pra jogar,pra frente e sempre tomando a iniciativa,sem se acovardar como fazem muitos técnicos por ai.
    ele não tem preferência por esse,ou quele jogador e sim aqueles que se empenham campo e isso ele já mostrou em pouco tempo de SANTOS,se deixar o homem trabalhar,ele vai longe.

  3. Às vezes ,por conta das famigeradas opções táticas,o treinador limita o jogador,não conseguem ver o potencial de cada um, exemplo no Santos de hoje é o Jean Mota,que sempre mostrou qualidades mas nunca foi efetivado, ele já mostrou que pode jogar em mais de uma posição, portanto endosso os comentários a favor do Sampaoli

  4. O sampaoli, mesmo com um time sem craques, esta mostrando a nós brasileiros que ainda acreditamos no futebol, que é simples jogar, não precisa de meses para dar ritimo a jogadores que ganham muito bem bem para apanas jogar bola.. ele esta mostrando que futebol é raça, coragem ,vontade de vencer, como ele disse ganhar, perder faz parte do jogo..oque não pode é se acovardar, a final dentro de campo são 11 contra 11.

  5. Tem um grande futuro e vai deixar sua marca no Brasil, mesmo que em algum as partidas será vencido como foi ,no final al de semana anterior ,e que as vezes será traído pelo acaso,mas nada que tira o mérito de seu (otimo) trabalho .Vamos conferir mais na frente mas acho que Sampaoli tem com o santos o DNA das vitorias!

  6. Sem sombra de dúvida, o futebol brasileiro carecia de um tecnico que viesse a resgatar nosso brilhante historico futebolistico. Sampoli esta nos enchendo os olhos.

  7. Sem sombra de dúvida, o futebol brasileiro carecia de um tecnico que viesse a resgatar nosso brilhante historico futebolistico. Sampoli esta nos enchendo os olhos!

  8. Alexandre Silvestre, parabéns! Você nos surpreendeu positivamente com o seu comentário leal, verdadeiro e desprovido de qualquer sentimento clubístico como fazem a maioria dos seus colegas das mídias em geral
    Confesso que desconhecia essa sua qualidade de transmitir através da escrita, notícia tão cristalina como você tem feito magnificamente como repórter de TV. Uma coisa é certa, daqui para frente não mais perderei os seus comentários no blog. Bom seria se você pudesse nos dar esse prazer diariamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *