Previsão macabra

(Foto: Rubens Chiri/São Paulo)

Ainda é cedo, mas são-paulinos e colorados já vivem em situação dramática. O internacional, sétimo colocado na tabela, patina na Série B, enquanto o Tricolor rebola no Z-4 da Primeira Divisão. Em planos diferentes na temporada 2017, caminham para um supreendente reencontro.

A paranoia começa a tomar conta desses dois gigantes e de suas enormes torcidas. A falta de confiança somada aos resultados negativos que acumulam e à qualidade questionável dos respectivos elencos vão afundando ambos. E nesses casos, a grandeza é um complicador. A gravidade puxa mesmo, com tudo, quanto mais pesada for a camisa.

Vejo também semelhanças nas diretorias dos dois clubes. A soberba do “lavo as mãos” trocando treinadores, a arrogância de não reconhecer os próprios erros diretivos, a incapacidade de gerir com decência arranham essas fortíssimas marcas do futebol brasileiro.

No Inter é pior. Caiu ano passado, e a queda não parece ter influenciado positivamente. Sabe aquele papo de bater no fundo do poço para acordar? É disso que estou falando. E o São Paulo que se cuide! Se cair, não acredito em engajamento do torcedor, como ocorreu com Palmeiras e Corinthians. O Morumbi ficará às moscas, imagino. Será uma “deprê” só. Quero ver a cara da “soberana” cartolagem!

Muita água, ou lama, rolará por baixo dessas pontes. Tempo de reação se esgotará num piscar de olhos, para não dizer algo deselegante que remói o instestino. Não torço pra isso, e também não ponho o meu na reta: duelos indesejados em 2018, em turno e returno, da dupla que conquistou o Continente e o Mundo num passado recente. Um super clássico em dias menos nobres da bola, tipo terça, sexta, sábado…na “Segundona”, conhece?

5 comentários

  1. Dos 72 pontos a serem disputados à partir da 15ª rodada,o SPFC precisará conquistar ao menos 30 para não cair..Isto significa 41,7% como índice de desempenho,e até a 14ª rodada atingiu 28,6%. O futebol não tem lógica mas os números gerados por ele precisam ser encarados de forma racional.É o momento de esquecerem o rebaixamento e encararem cada jogo como uma final,assim como faz o líder na outra ponta da tabela.
    O cenário está saindo do campo da aritmética e migrando para o campo da matemática,e aí a vaca já poderá estar atolada no brejo.

  2. Nem na hora que estão no fundo do poço, não deixam de lembrar do timão, vão cuidar do seu Bambi, ele está doente!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *